Sobre salsichas e amizade

Estou em Fürth e ontem tiramos o dia para passear em Nürnberg.

IMG_4216Nürnberg é uma cidade linda e quem tem a oportunidade de visitar a cidade não pode deixar de experimentar as famosas Nürnberger Würstchen. Acompanhadas de chucrute ou salada de batata as pequenas salsichas são ainda mais deliciosas e comer essa especialidade em Nürnberg é pra mim a mesma coisa de comer um verdadeiro baião de dois em Fortaleza.

Fomos em um restaurante que eu considero ter as melhores salsichas da cidade (Bratwurst Häusle), tem até fila pra sentar de tão requisitado que é. Depois de esperarmos alguns minutos, fomos levados até uma mesa pra quatro pessoas. Mais tarde um casal de idosos chegou pra dividir a mesa conosco. Isso é uma coisa que acho muito legal aqui na Alemanha, dividir a mesa com desconhecidos e o motivo vou contar agora.

Enquanto esperávamos nossa comida, os idosos fizeram o pedido e muito simpáticos começaram puxar assunto conosco. Uma coisa me chamou atenção, eles pareciam muito apaixonados, sempre de mãos dadas e rindo um pro outro. Achei lindo e comentei com o Kilian baixinho, “tá vendo Schnapsi, é assim que devemos ser na nossa velhice, sempre apaixonados”.

Conversa vai e vem até que eles ficaram interessados em saber como nos conhecemos. O Kilian fez um resumo e ela, a senhora, nos contou a história deles. Eles estavam completando 6 meses de casados e por isso tinham saído para almoçar fora. Não disseram, mas devem estar na casa dos 70. Daí acabamos descobrindo que moramos no mesmo bairro aqui em Fürth e eles comentaram sobre um pequeno festival que aconteceria mais tarde no bairro e nos convidaram pra ir. Nós concordamos na hora, eles foram tão atenciosos, então por que não encontrá-los outra vez? Combinamos horário e ponto de encontro e voltamos pra Fürth, enquanto eles ainda tinham planos de andar mais um pouco pela cidade.

Mais tarde, quando nos encontramos na festinha, pudemos notar que eles ficaram bem felizes porque nós tínhamos ido. E o senhor até comentou que seria a primeira vez que beberia uma cerveja acompanhado de uma brasileira. Nunca tinha imaginado que algo assim aconteceria na vida dele! Que fofo, fiquei lisonjeada!

Rapidamente trocamos o Sie pelo Du e aos poucos fomos contanto detalhes das nossas vidas. Ela me mostrou fotos da filha e do neto que guardava na carteira até que me senti confortável em perguntar como eles tinham se conhecido. Bom, os dois tinham sido amigos por 30 anos. Ambos perderam seus companheiros há dois anos atrás, inclusive ele era o melhor amigo do falecido esposo dela. Por causa da amizade, resolveram se ajudar mutuamente a vencer a solidão. Ela ia pra casa dele e cozinhava, limpava a casa, tudo feito de coração, como ela mesma disse. Nada forçado e nem com caráter de favor ou obrigação. O resultado dessa “aproximação” foi que os dois acabaram se apaixonando. Resolveram então casar e passar o resto da vida juntos. Ela disse que se os dois viverem pelo menos mais uns 3 anos, morreriam em paz e felizes.

Quem me conhece sabe que eu não me contenho diante desse tipo de situação. Chorei! Não pude resistir. Até tentei segurar com todas as forças, mas eu sou muito sentimental pra ouvir uma história tão linda como essa e não reagir assim. Ela me deu um papel pra enxugar as lágrimas e eu toda sem jeito pedi desculpas. Ela segurou minha mão e olhando pro Kili falou pra ele tomar conta de mim, porque ele tinha encontrado uma mulher de ouro, que eu não me envergonhasse, pois ela também se sensibilizava muito fácil e que portanto, me entendia. O mais legal de tudo é que trocamos telefone e fomos convidados pra tomar café na casa deles na próxima vez que eu estiver em Fürth!

Gente, a vida é uma caixa de surpresas! De repente, sentar ao lado de desconhecidos e ter a oportunidade de conhecer mais deles, pode resultar numa troca de experiências tão valiosa! Pessoas frias e carrancudas estão em todos lugares, não só aqui como muitos pensam. Os alemães podem ser extremamente abertos e amáveis e momentos como esse são bons para mudar essa imagem que criamos. Momentos como esse são bons para amenizar a saudade e me fazem sentir muito bem acolhida aqui.

24 comentários em “Sobre salsichas e amizade

  1. Anaaaa!
    Que doçura a forma como você escreve e aproveita cada detalhe lindo da vida!
    Que história linda… impossível não se emocionar!
    Muito obrigada por compartilhar…
    Forte abraço!

    1. Oi Marília! Que fofo o seu comentário, me encheu de alegria! 🙂
      Muito obrigada você por acompanhar minha história! Volte sempre, ok?!
      Abração!

  2. Era uma história assim que eu precisava ler para ir dormir. me emocionei. e o mais engraçado é que acabei de conhecer o seu blog.

    Visitarei sempre.

    Um beijo

  3. Mto fofo! Eu acho os alemães fofos, em sua grande maioria. Esse tipo de coisa raramente acontece aqui no BR… Que pena que os alemães tenham um estereótipo tao manchado e injustiçado por causa de fatos históricos… :/ Bjs

    1. Compartilho da tua opinião. Eu não abro a boca pra dizer que todos são fofos, pq não é verdade. Assim como não é verdade que todo brazuca seja gente boa. Num é!
      Mas que a grande maioria é kind, isso é verdade. Sabe o que é pior? É que imagem uma vez manchada é quase que impossível limpar…eu gosto do povo daqui, tenho muito pouco pra falar de negativo.
      beijos

  4. Oi Aninha!
    É no Häusle que servem as salsichinhas num coração de metal?
    Eu amoooo as salsichas daí. Ao meu ver, são as melhores da Alemanha.
    Querida, é muito linda a história que você compartilhou no blog. Estes encontros são muito significativos e nos provam que há nos céus uma força grandiosa que vai colocando anjos em nossas vidas para nos mostrar, através de seus exemplos, os caminhos a seguir.
    Veja que maravilha esse casal encontrar o amor lá pelas tantas e ambos estarem tão abertos ao mundo a ponto de fazerem amizade com um casal bem mais novo, mas igualmente simpático.
    Lindo isso!
    Beijo
    Márcia

    1. Sim, Marcita…é esse o tal restaurante! Uma diiiiiiiilícia!
      Eu não coloquei em palavras, mas você conseguiu pegar esse detalhes muito importante, que nunca é tarde para amar e encontrar novos amigos. A vida é fantástica né, amiga?! Adoro me encantar com o ser humano!
      beijos

  5. Nossa, acredita que me emocionei lendo o seu texto. Juro, meus olhos encheram de lágrimas por ler algo tão bonito. O romantismo não está apenas nos livros ou nos filmes, mas também na vida real. Basta parar alguns minutos e observar o que acontece ao nosso redor, que com certeza iremos nos surpreender com que podemos encontrar.
    Linda história e obrigada por compartilhar com a gente.
    Puss!

    1. Own Vânia! que fofo que você se emocionou comigo! Eu não tenho o dom poético pra escrever coisas bonitas, com palavras bonitas. Mas gosto de escrever nesse blog esse tipo de acontecimento. Gosto muito, como você citou, de olhar ao redor e observar as coisinhas mais simples, mas que fazem muito sentido pra mim. Obrigada por ter gostado!
      Puss!

  6. Ana,
    Aqui acontece muito disto, pessoas completamente desconhecidas de repente se tornam conhecidas e algumas vezes até amigas. Isto é algo que eu amo na Alemanha.
    Vc está morando em Fürth? Eu moro mais ou menos 1:30 daí. Que tal se combinássemos um café?
    Beijos
    Lola

    1. Pois é Lola! Essas coisas me encantam e enchem meu coração de esperança.
      Ainda não estou em Fürth, mas estou de mudança daqui uns dias. Meu esposo já mora lá hás uns 3 meses. Qual cidade você mora? Acho legal a ideia da gente se encontrar!
      beijos

  7. ai… que história fofa! é por essas e outras que eu acho uma injustica essa fama que os alemas carregam. Aqui na suíca, só encontrei alemas gente boa! =)
    bjao

    1. Pois é Chris, essa fama vem lá de trás, é coisa antiga. Mas quem tem a oportunidade de ter contato com eles, vê que a coisa não é assim. Fico feliz também de ter cruzado com tantas pessoas boas no meu caminho! 🙂
      bjos

  8. Que história linda desse casal Aninha!!! Sabe eu acredito muito que na maioria das vezes é a gente que atrai determinadas pessoas para a nossa vida. Cada um tem a sua energia particular e consequentemente atraímos pessoas com a mesma energia que a gente… por isso que quem tá sempre reclamando que só encontra gente grossa, gente chata, gente irritante e por ai vai…. devia prestar atenção do porque estar atraindo sempre gente assim ;).
    Emocionante mesmo a história destes senhores! Realmente são momentos assim que fazem com que nos sintamos, pelo menos parcialmente, integradas por aqui.
    Tomara, tomara que dê certo da gente se encontrar em Nürnberg (ou aqui na Suíça!).
    Já deu vontade de ir neste restaurante e provar essas Nürnberger Würstchen :-). Bjs e boa semana pra vocês <3.

    1. Sandra,
      Amei seu comentário. Sou pra frente né. Desculpa, mas a verdade é que eu estava hoje mesmo reclamando disto. Umas amigas que eu tinha no Brasil que viviam em minha casa, saindo comigo hoje em dia me um e.mail ou Whats App, dizendo “oi cachorra”, fico tao triste de saber que estas pessoas só queriam se aproveitar de algumas coisas que eu tinha, e vir para a Europa no esquema 0400 (pagar só a passagem).
      Mas, a vida ensina e precisamos ser inteligentes para aprender e mudar!
      Nunca é tarde näo é mesmo!?
      Beijos
      Lola

      1. Lola, infelizmente muitas pessoas não aceitam com naturalidade o fato de morarmos fora e isso de algum forma acaba atingindo elas. Muito triste essa falta de respeito com vc. Será que são mesmo suas amigas?
        bjos

        1. Com certeza nunca foram. Mas uma coisa é certa, valeu pela lição aprendida. Como meu Pai sempre diz, nao podemos perder aquilo que nunca tivemos.

    2. Até me arrepiei de ler seu comentário, porque realmente não pensei nessa coisa de atração. Mas acho que é verdade sim, Sandrinha! E que minha energia continue assim, atraindo sempre o que é bom e que o mal viva sempre bem longe! 🙂
      Assim que eu souber dos nossos planos te aviso! Mas não se preocupe, ainda não conheço a Suíça, então qualquer coisa vou até aí te ver!
      beijo grande

  9. Oi flor,
    que legal essa história que você contou. Verdade né Ana tem coisas que nem esperamos, olha só como foi o dia de vocês, conheceram esse casal, que de certa forma estão vivendo uma história de amor como vocês… belezinha!!!
    Nuremberg é linda mesmo, nós fomos em junho, adoramos!!
    Beijos e boa semana querida

Faça o meu dia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s