Amor

Eu gosto de uma frase que diz: “Ser tia é amar uma pessoinha que não é sua, mas a quem você pertence”. Quem é titia ou titio sabe bem o que ela significa. Eu sou tia de quatro, dois meninos e duas meninas. O primogênito foi o meu primeiro grande amor e depois que os outros vieram, me assumi como uma tia enlouquecida de paixão. Realmente, o meu amor é sem controle! Eu amo até os filhos dos outros, que nem meus sobrinhos são! Sou uma verdadeira titia de muitas crianças, e é assim que muitos me chamam.

Amo meus sobrinhos igualmente, sem menos e nem mais, independente dos que já são mais velhos serem uns chatos de vez em quando. Mas uma criança pequena tem todo um encanto especial. Quando fui embora do Brasil no ano passado, minha pequena Gabi tinha apenas alguns meses de vida e Deus sabe como foi doloroso. Comecei a ver o crescimento dela pelo Skype, mas claro que nunca é a mesma coisa, eu sentia que estava perdendo tudo, o nascimento dos dentinhos, as primeiras engatinhadas, os primeiros passinhos. Não acompanhei nada disso de perto, assim como acompanhei dos outros três. Ela cresceu e sempre me olhava pelo Skype, mas não tinha nem ideia de quem eu era. Antes de vir visitar minha mãe, fiquei morrendo de medo que ela não me reconhecesse. Ela reconheceu, mas me ignorou nos primeiros dias. Me observava muito com os olhos grandes e expressivos que ela tem. E eu fui tentando aos poucos me aproximar. Tentei até comprá-la com presentes, mas nem isso funcionou! 🙂

wp_content4

O bom é que depois de todos esses dias, ficamos super amigas! Ela é vaidosa como a tia e adora me observar. Sempre que me apronto ela olha pra roupa e diz: Linda! Eu me derreto toda! As vezes pede pra eu pintar somente uma unha da mão, e eu pinto! Coisas que só uma tia louca é capaz de fazer. Adora se olhar no espelho e vive ajeitando a franjinha que a deixa ainda mais com rostinho de boneca. Agora ela sabe que sou a titia dela e estou por perto, tanto que quando ela me procura e não me encontra ela diz: cadê titia, acabou…e isso acaba comigo. Em alguns dias estarei voltando pra casa e me parte o coração saber que ela vai me procurar e não vai me encontrar. Na verdade, voltarei para dentro do computador. Como fazê-la entender isso?!

wp_content5

 

Anúncios

23 comentários sobre “Amor

  1. Oi Ana! Sei que o post é bem antigo de 2013. Mas não resisti em ler esse que é uma das postagens mais lidas do seu blog, pelo menos é o que mostra pra mim…rs. Achei tão lindo seu texto e esse carinho enorme que você tem pela sua sobrinha, li tudinho e me emocionei até com os comentários por aqui. Eu tb tenho 2 sobrinhas que moram longe de mim, não chega a ser tão distante quanto no seu caso, e sim apenas de uma cidade para outra. Eu moro em São Paulo e elas moram em São Carlos, o que é uma distância de 280km, quase 4 horas de carro. Elas são filhas da minha irmã mais velha. Ah sempre bate aquela saudade, e infelizmente estou sem PC em casa e só consigo matar a saudade via whatsapp, mandamos audio uma pra outra, enviamos vídeos enfim. A mais velha tem 12 anos e a mais nova tem 7, são lindas e me orgulho de ter sobrinhas tão lindas, educadas, meigas e carinhosas. Eu me derreto toda quando ouço a mais nova mandando um áudio pra mim assim: “Oi titia! Quando é que você vem pra minha casa? To com saudade! Nossa, fico até com o choro engasgado sabe. Mas graças a Deus neste final de ano elas vão passar o ano novo aqui com a gente…ebaaa!
    Como já se passaram 2 anos desse post, conta pra gente como ela está e se vocês conseguiram se encontrar de novo. Ela é linda Ana!

    bjinhos
    Layde

  2. Não é fácil mesmo ser tia à distância, Ana. Tenho uma sobrinha fofa e sapeca. Sim, não pude acompanhar muita coisa que aconteceu na vida dela nem ver seu crescimento… só mesmo quando estava visitando minha família. O jeito é tentar compensar um pouco via Internet.
    Quando ela era mais nova e não entendia essas coisas de distância (já está com 9 agora!), ela sempre perguntava onde eu morava e porque não ia visitá-la com frequência Eu explicava que morava na Alemanha e tal. Daí ela começou a dizer que queria ir então na “Alemanha da dinda Lu”… Haja coração!
    Beijos, querida, e curta seus sobrinhos ao máximo!

    • Lu, não sei o que seria de mim sem o skype. Mas nunca vai suprir 100% a falta que fazem né?! Dói e é uma dor assim bem profunda. Você sabe como é essa dor. E que fofa a tua sobrinha querer te visitar na Alemanha. Tomara que um dia isso se torne realidade, pra nós duas!
      Beijos Lu e obrigada pelas palavras de conforto!

  3. Já tinha visto as fotos dos seus pequrnos no Onstagram, eles são lindos demais!
    Eu também sou tia, e das beeem corujas!
    Acho que ser tia é amar uma outra pequena parte dos nossos irmãos.
    Eu, que infelizmente já perdi o meu, vejo nas minhas meninas a continuacão da vida deles através delas.
    Sem contar que é uma delícia saber que mesmo longe, os sobrinhos continuam loucos por nós!
    Eu quando era criança era igualmente apaixonada pelas minhas tias, é um amor imenso, misturado com um pouquinho de diversão, porque as tias sempre deixam os sobrinhos fazerem tudo que as mãe as vezes barram!

    Boa viagem de volta, Aninha!
    Que Deus conforte seu coracao nas despedidas, mas que também te dê a certeza de que é apenas um ” Até logo” e assim que possível, todos estarão juntos novemente!

    Muitos beijos e força!

    Pam

    • Pam, imagino a sua dor também de viver longe delas, ainda mais quando elas representam a imagem de uma pessoa que sempre continuará sendo especial pra você. Eu também sempre fui louca pela minha tia, irmã do meu pai, que foi a que mais tive contato na infância, e ainda hj a chamo de titia! Acho que quando gostamos dos nossos tios temos um grande potencial pra sermos boas titias também! Espero que você possa matar em breve a saudade das suas meninas. E obrigada, como sempre, pelas belas palavras. Você tem o dom de me transmitir paz!
      Beijos, beijos ❤
      Ana

  4. Aninha que confissão de tia mais linda!
    Eu entendo o seu sentimento, porque é difícil pra gente acompanhar as fases do desenvolvimento dos sobrinhos através de uma telinha, né? Acabamos perdendo momentos únicos dessa fase de criança deles e que sabemos que jamais voltarão. Mas pelo menos sua sobrinha sabe agora que você é de verdade.
    E foi como você, um dia você terá uma só pra vc… mas por favor, não a coma! 😀
    Beijos.

    PS. Sua sobrinha é tão linda quanto você!

    • uahuahauaha adorei teu comentário!!! Mas de verdade, esse é o medo do marido, ele diz que o jeito que trato as crianças, toda a baby language que uso, é coisa de gente doida! kkkk
      Obrigada pelo elogio!!! To me sentindo! 🙂
      grande beijo!

  5. Ana, sua sabrina parece um pouco com vc com esses cabelinhos negros rss.
    Ahh! que saudades dos meus pequenos que estão no Brasil , principalmente do casal gêmeos de 7 anos da menorzinha Ana Clara, sobrinha e afilhada de 5 anos e agora estão louco e esperando que eu anuncie o meu primeiro, que não sei se virá, ah! mas isso é outro assunto rsrs. Eu venho de uma família enorme de 10 irmãos, 5 por parte de pai e 5 por parte de minha mãe e meu pai, e por isso passamos boa parte de nossas vidas com uma criança pequenina para paparicarmos, qdo um já estava grandinho, alguém anunciava que estava grávida…..Êee, mais um! hahaha. Vez ou outras nos vemos pelo skype pra matar um pouco da saudadona e acompanhá-los de longe, só sinto não poder tá perto para acompanha essa fase de descobertas enquanto ainda são pequeninos, principalmente qdo você é tia e madrinha, me sinto um pouco responsável por ela e não quero ser uma madrinha ausente como a que eu tive. E depois que vim embora, ela pergunta para a mãe: mainha, porque a Dindinha agora só me ver pelo computador? ai gente qdo minha irmã falou isso eu chorei (agora estou lacrimejando hahaha)…Ana, beijinhos para vc..amei o poste. 🙂

    • Oi Jaira! Fico muito feliz que vc tem vindo aqui com frequência! 🙂
      Ow coisa boa é ter família grande né?!!! Eu tenho 5 irmãos!!!
      O skype á a salvação da minha vida! Nem sei o que seria de mim sem. Fico só imaginando como as pessoas há alguns anos atrás quando não tinha internet faziam…puxa, dói só de pensar! A saudade é grande né e só aumenta…mas fazer o que?! Nossa escolha de morar longe é tão injusta as vezes…deixamos a presença de grandes amores para viver outro grande amor! É fogo!!!! hehehe
      Super beijo e obrigada pelo carinho!!!

  6. Ana, eu tb sou louca pelos meus sobrinhos e estou contando os minutos para ve-los. E o fato de eu ter tido o meu proprio bebe nao diminuiu em nada a minha fascinação pelos meus sobrinhos. Ai que saudades deles!!! Parabéns pela sua sobrinha e demais sobrinhos e por ser uma tia tao carinhosa. Isto eh o primeiro passo para ser uma mamãe de primeira! 🙂

    • Awn Maila! Obrigada pelo comentário super fofo! Ser mãe é a coisa que mais quero na vida, mas terei que esperar um pouco mais, infelizmente! Por mim, teria um bebê amanhã mesmo! 🙂

  7. Ana, eu sou “derretido” para crianças igualzinho a você. E o gostoso é que todas se engraçam comigo. Na rua, no banco, em filas,…por todos os lados. Adoro ver aquela risada espontânea que a criançada de colo dá para a gente.
    Bom… por mais que eu escreva por aqui não vou conseguir consola-la quanto ‘as saudades que você irá sentir. Tudo que pensei para melhorar para você é “chavão” antigo que além de não melhorar torna ridículo. Só me resta pedir para você colocar mais um beliche dentro do coração para levá-la de lembrança e não sentir tantas saudades.
    E a danadinha é linda mesmo.
    Sem solução por enquanto, rs…rs!
    Um beijo,
    Manoel

    • Manoel, acredito muito que as crianças gostem de você. Com todo esse carisma que você tem fica impossível acreditar no contrário! Mas é isso né querido! Se eu pudesse a colocaria dentro da mala e a roubaria pra mim. Mas sei que em alguns anos serei abençoada com uma criança só pra mim! hehehe
      Meu esposo um dia disse que tem medo que eu coma o nosso bebê, pois o meu amor é uma coisa de louco! uahauahau
      Beijo carinhoso!
      Ana

  8. q post lindo, q sobrinha linda, me fez lembrar do meu único sobrinho, eu o vi pequenininho e o acompanhei até os 3 anos de idade, nessa época ele comecou a ir p o maternal na escola e o esperava ansiosamente para fazermos juntos o deverzinho de casa como pintar, colar, ver o que tinha na agenda, pegar o livro com ele, ele adorava e eu tb, me procurava para folhear livros e ler para ele, inventar uma história, brincar,… virei uma tia babona e era muito, muito bom, aí vim pra Alemanha e perdi, perdi sim até agora 5 anos da vida dele, agora ele está com 8 anos e muita coisa se passou, mas é a vida.

    quanto ao post anterior muito forte, quem sabe vc volta a lecionar na Alemanha, poxa pós-doutora, muita coisa viu, na escola ou na indústria quimica 🙂

    • Ah querida! Senti pelo comentário que você realmente me entende! Só quem passa sabe a dor que é, não é mesmo?! É a vida com suas escolhas…
      E obrigada pela força, por ter lido o post anterior! Vejamos o que a vida vai me trazer né?!
      beijos

  9. Aiii Paulinha, eu sou louquinha por crianças. Tenho uma amiga que diz que eu tenho cara de raptora de crianças porque me derreto toooda quando vejo uma coisas dessas. Que criança linda. Parece uma boneca de porcelana. E ainda pelo que vc diz parece ser muito carinhosa, como não amar? Eu imagino como vai ser difícil dizer tchau pra ela. Força.

Faça o meu dia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s