da necessidade de gritar

Existem filmes, livros, textos ou histórias pessoais que fazem o meu coração transbordar de um sentimento sufocante, que é o de gritar para o mundo. Dizer ao mundo sobre algo que acabei de ver, ler ou ouvir e que me tocou profundamente. Aposto que vocês também têm essa necessidade de vez em quando, estou certa?

Help_poster

Foto: wikipedia

Hoje assisti pela primeira vez ao filme “The Help”, que é uma adaptação do best-seller da escritora Kathryn Stockett. O livro/filme é sobre o drama de empregadas domésticas negras que servem famílias brancas na década de 60, nos states. Na trama, uma jornalista branca faz de tudo para contar ao mundo sobre as histórias de vida e superações dessas mulheres, narradas por elas mesmas. Foi um dos filmes mais lindos que já assisti e preciso muito adquirir o livro.

Por incrível que pareça, após assistir ao filme, me deparei com um relato impressionante de uma amiga que admiro muito. As palavras que hoje me emocionaram e eu gostaria de gritar e fazer com que o mundo inteiro soubesse não são minhas, mas da Pam, a moça do sorriso mais doce que conheço.

Gostaria de compartilhar com vocês as lindas palavras que a Pam escreveu aqui.

Anúncios

23 comentários sobre “da necessidade de gritar

  1. Eu li o relato da Pam e me emocionei ao cubo. É difícil de acreditar que em pleno século 21 ainda exista preconceito racial. Triste, mas é a realidade.

    Gostei da dica do livro/filme, pois eu não o conhecia. Vai para a listinha desse ano.

    Beijos.

  2. Ana, eu vi esse filme o ano passado e eu simplesmente amei. Fiquei muito emocionada, mas nem procurei sobre o filme depois. Quer dizer então que o livro realmente existe??? Que tudo! Vou super procurar pra comprar.

    beijos

  3. O filmed é realmente muito chocante e lindo. Gostei de ver como a jornalista colocou a boca no trombone!!! E tb como havia sim a opressão entre as próprias mulheres da raça branca.Isso fica fácil de ver no filme. A cena que me cortou o coração foi aquela em que a diarista se despede daquela criança, que a tem como mãe. Ai mexeu demais!

  4. Só vim agradecer pelo carinho, pela sua amizade e por seu cuidado comigo sempre!
    Me sinto honrada de ter um texto meu compartilhado por você aqui e ainda mais honrada por ter você como minha amiga!
    Muito obrigada, Aninha!
    Um beijo bem grande e um abraço bem apertado!
    Pam

    • Na verdade, é uma honra pra mim ter um texto tão bem escrito e de grande significado sendo compartilhado aqui. Não consegui gritar pro mundo todo, mas acho que ajudei um pouco fazendo com que algumas pessoas tivessem acesso ao seu texto!
      Um grande beijo, amiga! ❤

  5. Aninha! Já tinha ouvido falar do filme, mas nunca assisti! Vou dar uma olhada!

    A viagem foi realmente incrível, até hoje estou falando sobre! Barcelona merece sem dúvida uma visita e de preferência de 4 a 6 dias! Visite os museus e as obras de Gaudí, não deixe de caminhar pela Rambla e pela Orla! Até no inverno, eu fui em janeiro, o clima é agradável! A Plaza de Toros não está mais ativada, mas o museu é bem interessante! Obrigada por passar pelo meu blog, são poucas visitas, mas muito significativas! Eu estava na Inglaterra no começo do mês resolvendo pendências do meu visto, voltei para Brasília e fico aqui até o mês de fevereiro, vou a São Paulo e logo volto pra Inglaterra com meu marido!! Beijos

    • Tomara que vc goste, Flavinha!
      E obrigada por responder minha pergunta! Curiosidade mode on da leitora aqui! 🙂
      Bom saber que vc mora pelas bandas de cá, quem sabe um dia a gente não se esbarra por aí. hein?!
      beijinhos

  6. Oi, Ana
    Valeu pela dica! Já vai para minha lista de filmes a assistir 😉
    Imagino o que essas mulheres não têm para contar… e é necessário que se conte, que repitam, que gritem mesmo porque ao que me parece cada vez andamos mais para trás, enaltecendo o que não tem importância, tentando segregar o que foi criado como único…
    Beijo grande,
    Lu

  7. Aninha,
    Já estou gritando junto com você. E a Pam é mesmo um doce de pessoa, de uma simplicidade unica e genuína. Merece tudo de bom.
    E sem querer entrar em questões religiosas, mas nome Adão está associado a uma palavra hebraica ‘adam, que significa “ser vermelho, da cor da terra, ou do barro”. Eu penso que a cor da pele é o que menos importa, até porque o sangue que corre em todas as veias é da mesma cor, vermelho. Somos todos barro do mesmo pote. E sinceramente diferenciar a cor da pele nomeando raça, é assinar um atestado de pobreza mental. Você não acha?
    Um beijo e um abraço bem apertado
    Lola

    • Adorei o seu comentário lá Lola! E que legal esses laços que criamos! Estou vendo que estamos criando um verdadeiro grupinho de amigas virtuais! Como seria legal se a gente pudesse se reunir um dia!
      um beijão procê, sua linda!

  8. Ana, amiga muuuuuito querida. Quando eu sinto a sua vibração pelas coisas da vida eu também sinto vontade de gritar porque hoje em dia a vida se torna tão automática que se a gente não der uns gritos ninguém percebe pessoas fofas como a amiga Ana.
    Beijo no coração,
    Manoel

Faça o meu dia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s