É mais legal ser espontâneo!

10366020_10204025207933050_899005951919471593_nVou confessar uma coisa, eu sinto muito falta de fazer algumas coisas espontaneamente, sem protocolos, sem necessidade de agendamento. Tô falando de coisas simples da vida, como ir tomar um sorvete num dia frio com alguém que não vai achar a minha ideia totalmente absurda.

Meu esposo sempre diz que eu prefiro fazer amizade com estrangeiros e que vivo me refreando de manter contato com os alemães. Não é verdade. Eu até tenho alguns bons amigos alemães que peguei de herança dele, mas eu apenas acho que a grande maioria dos estrangeiros que conheço tem o jeito de pensar e agir mais parecidos com o meu jeito de ser. Além do mais, o ambiente que recentemente me encontro é composto basicamente de estrangeiros e é bem mais fácil pra mim conhecer e manter contato com pessoas que estão no mesmo barco que eu. Eu também faço planos, claro. De alguma forma tenho absorvido muito do comportamento do meu marido e familiares e aprendido a viver de maneira mais metódica, fazendo uma coisa após a outra, andando mais compassadamente. Mas as vezes, eu simplesmente morro de vontade de fazer tudo mais espontaneamente. Comer no sofá assistindo televisão sem a necessidade de montar a mesa, de ter que tirar o queijo e presunto da embalagem de plástico e colocar tudo bonitinho num prato, como manda o protocolo. Tenho saudade de receber amigos de surpresa em casa. Tenho simplesmente vontade de quebrar algumas regras e mostrar pra muita gente aqui, que a vida também pode ser organizada mesmo sem um agendamento prévio, hora marcada ou Termin’s da vida.

Fim de semana passado, uma colega do curso de alemão, que é ucraniana, me mandou uma mensagem no Facebook perguntando se eu gostaria de pedalar um pouco com ela em Nuremberg. Eu, que estava super atarefada cuidando dos convites do casamento, pensei duas, três vezes se iria ou não. Até que resolvi ir. Era quase uma da tarde quando nos encontramos. Nada foi planejado, mas acabamos indo em um restaurante mexicano, depois pedalamos por 1 hora e depois ela me levou num café super charmoso, onde tomamos café acompanhado de prosecco e ficamos um tempão de bate-papo na mesinha da calçada. Aconteceu tudo tão naturalmente e foi tão divertido que em certos momentos me peguei pensando: “faz tempo que eu não curto uma tarde dessa forma com uma amiga” ou “será que daria certo uma tarde como essa com uma amiga alemã?”

Eu tenho minhas dúvidas. Os alemães (no geral) não sabem ser espontâneos e eu acredito que em nenhum lugar a pontualidade e o planejamento são mais importantes. Há tempo e lugar para tudo e tudo é feito sob uma organização muito meticulosa. Um compromisso ou hora marcada é necessário pa-ra-tu-do, até mesmo o lazer é planejado até o último detalhe e quando algo não funciona como planejado, pode ter certeza que eles têm um plano alternativo pra substituir o anterior eficientemente. Não acho que isso seja ruim, pelo contrário, acho que a Alemanha deve muito ao que é hoje à essa mentalidade. E como ex-patriada-brasileira-espontânea que sou, tenho tido que aprender a levar esse modo de vida e dançar no ritmo no deles. Porém, eu confesso que meu espírito brasileiro fala muito mais alto todas as vezes que sou imposta a seguir regras ao pé da letra. Acho que um pouco mais de espontaneidade aqui não seria nada mal! Mas quem é mesmo você Ana pra querer mudar uma cultura tão consolidada?! 🙂

 

Anúncios

28 comentários sobre “É mais legal ser espontâneo!

  1. Anita, peguei um tempinho aqui para ler os seus posts ….. estou me divertindo …. rsrsrsrrs
    A hora que vc descreveu tudo meticulosamente pensado e com plano B não tive como não lembrar da famosa frase do meu querido Kili: “Deste ponto de ônibus até a minha casa são apenas 7 minutos!!” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Bjinhos.

  2. O planejar e organizar é bom e eu me esforço para que boa parte aconteça como planejado. Formalidades demais perdem a graça, e ser espontâneo passa a ser bom demais da conta, devido a leveza das coisas serem feitas por si mesma sem uma causa certa aparentemente.
    Beijos, Mirela

    • Ah sim, sem dúvidas Miry! Como escrevi acima, aprendi muito aqui com minha família, mas o excesso as vezes me cansa!!! hehe
      Adorei seu comentário! Obrigada!
      bjão

  3. Ta aí uma coisa que meu marido e eu sempre comentamos quando nos perguntam se sentimos falta de alguma coisa do brasil: espontaneidade. Aliás, não me conformo em ter descoberto seu blog só depois da minha ida a nurnberg no ano passado… poderia ter rolado um desses cafés espontâneos por aí, né? =)
    bjos

  4. Ana que legal esse seu passeio em Nuremberg 😉 Que bom que se divertiu bastante e ainda tem uma amiga ukraniana! Eu acho muito legal quando faço amigos de outros países e sempre aprendemos com outras culturas! Quanto a costumes de hiper organização, eu iria sofrer demais, eu sou a pessoa mais desorganizada que conheço! Sabe, um dia conversando com dois professores visitantes aqui no Brasil, sendo um alemão e o outro um britânico, eles me falaram que em seus institutos de pesquisa alguns de seus alunos de maior destaque são os brasileiros. Inclusive tem um deles que teacher da Uni de Cologne e me falou que está tão contente com o seu mais novo aluno, que é um brasileiro, paranaense que estudava na unicamp, sp. Ele me falou sobre a capacidade criadora e do alto ‘improviso’ dos brasileiros, eu gostei demais de saber disso 😉

  5. Isso me lembra meu namorado que todo dia de manhã vai para a cozinha cortar o abacaxi/maçã em cubinhos e a banana em rodelinhas fininhas. se fosse eu cortaria em 2 ou 4 pedaços e pronto hahaha. Mas acho que os alemães que eu conheço ainda são um pouquinho espontâneos, apesar de tudo a gente ainda comia no sofá, ainda encontrava pessoas sem marcar com antecedência… Enfim, não era como no Brasil, mas não era tão regrado também. Infelizmente não dá pra ser assim em toda Alemanha. Imagino que isso te incomode pois acho que também me incomodaria a longo prazo. Espero que você se sinta melhor com o tempo, querida. Que encontre uma forma de lidar com tudo isso e que pessoas mais espontâneas entrem na sua vida 😉

    Super beijo!

  6. Oi Ana! Sabe que estava pensando muito nisso esses dias? É uma das coisas mais legais do Brasil : espontaneidade, informalidade. Eu ja estava achando que ia ser impossivel fazer alguma coisa sem planejamento com alguem daqui, mas agora sabado uma amiga daqui me mandou uma msg perguntando de “eu teria espontaneamente vontade” (ela usou a palavra spontan meio que para mostrar que ela sabia o quao atipico era aquele convite em cima da hora) para encontrar com ela e comer algo e ver o jogo. Eu nao tinha mto o que fazer e aceitei o convite e me encontrei com ela em 20 minutos, e vira e mexe ela falava “poxa mas que maximo que vc teve tempo hoje”, como se fosse a coisa mais anormal do mundo. Eu acho isso inacreditavel ! Espero nunca perder nossa espontaneidade brazuca 😉

  7. Verdade Ana, tbm gosto de ser espontânea, claro que tbm gosto de organizar uma comida com mesa toda combinadinha mas tem dias que comer no sofá vendo tv é muito bom né? acho que os Espanhois são menos metódicos que os alemães e ainda bem que meu marido entra nas minhas loucuras e dai eu digo: amor vamos comer fora hoje? ele aceita….faço uma comidinha basiquinha, coloco tdo na papper, toalha de mesa, pratinhos, copos e talheres descartaveis e vamos comer no campo, na praia, no parque kkkkkkkkkkkk …grande beijo!

  8. Olha Ana, vou falar que eu gosto de tudo planejado e sou fissurada em planos, planos, planos. Mas como você disse, um pouco de espontaneidade faz bem! Mas ao contrário de você, eu simplesmente detesto receber visita de surpresa. Não consigo nem fingir estar feliz em ver a pessoa, pois visitas surpresas me desestruturam total, hahaha.

    beijos!!

  9. Pois é, Ana… Com o tempo a gente se acostuma com a falta de espontaneidade e deixa ela guardada para usarmos com outros estrangeiros rsrsrs O que mais me incomoda não é a falta de espontaneidade e sim a cara de bunda e o drama quando algo sai do programa, algo inesperado acontece…
    Beijos e bom domingo ensolarado!
    Lu

  10. Ana,
    você esta certa, quebra as regras de vez em quando. Nossa espontaneidade deixa a vida mais leve. Os alemães em geral não convive bem com isso, digo experiência própria que a Valentina esta sofrendo com isso no kindergarten… então favas pra eles em certas ocasiões.
    um beijo grande

  11. Oi Ana, eu já tive muita dificuldade com isso. Hoje em dia depois de 20 anos do lado de cá acho que já me acostumei. Com filhos não tem jeito mesmo. São tantos compromissos para agendar e coordenar. No final das contas, acho que já até gosto desse lado alemão. Devo estar alemanizada né não?

    Compartilhando…. bjs Claudia

  12. Adorei o comentário da Pam. Fofa, né? E faz sentido. Nós, brasileiros, somos bons nos improvisos. Lidar com o não planejado, viver sem rédias. Mas assumindo que você está aí, como nadar contra a maré, não é?
    Te entendo, minha querida e sabe o que? Te desejo muitas surpresas boas e inesperadas 🙂

  13. E assim mesmo Ana, aqui tambem e tudo antecipadamente planejado e combinado. Eu sinto falta de uma ligacao do nada convidando pra fazer alguma coisa inesperada, de receber amigos sem aviso previo. Ai vida de imigrante nao e facil ne, e tanta coisinha diferente que as vezes chegam a enlouquecer a gente. Mas com o tempo a gente vai se acostumando e com sorte da pra fazer amizades otimas com pessoas mais espontaneas como nos!
    Beijinhos

  14. Eu diria que o “ideal” seria encontrar o meio termo, nem 8 nem 80 sabe?
    E depende tb da situação, eu pelo menos detesto esperar e fazer alguém esperar por mim, mas ao mesmo tempo se do nada me ligam e me chamam para sair sem aviso prévio eu tb gosto e não me incomodo por isso.
    O meu medo é justamente esse, fico pensando se conseguirei me adaptar ao jeito alemão, uma vez que eu andava mais com estrangeiros do que com alemães, eu acho q de inicio apanharei viu hahahahaahah

    bjos

  15. Venho por meio desta, deixar a minha solidariedade à você, Aninha, que com certeza deve pensar muitas vezes em desistir dos Termine da vida por meio de tanta burocracia!
    Aqui em casa até pra fazer algo em família, tem que ser agendado, calculado e pra ser adiado, tudo deve ser previamente revisto e discutido!
    Alemaes sao um pessoal superbacana e nem é que eles nao sejam espontâneos ao meu ver, eu acho que simplesmente eles nao sabem lidar com nada que não tenha sido previamente programado ou calculado! Egal was!
    Quer fazer um teste?
    Observe qualquer um deles numa situacao repentina que exija uma solução rápida, pode ser uma coisa simples, tipo: você tem que fazer um manjar, mas não tem a forma própria pra isso!
    Já passei por essa situação com a minha sogra e enquanto ela quase teve um ataque na cozinha, chegando a ponto de dirigir até o mercado mais próximo pra procurar a tal forma, ligar para conhecidas e olhar no google(?), eu simplesmente coloquei um copo no meio da travessa pra formar o tal buraco! Hahahahahah
    Os alemães piram no imprevisto! esse negócio de ” se vira nos 30″ aqui não tem serventia não!
    Adorei ver post novo, tava com saudade!
    Também preciso criar vergonha na cara e voltar a postar, mas quedê tempo?!
    Mil beijos, doçura!

  16. Olha a minha experiencia com alemaes foi bem ao contrario. Acho que eu era mais cheia das regras que os amigos alemaes que fiz, Talvez varie muito de pessoa pra pessoa, e cada família também tem um jeito diferente de ser. Mas entendo que às vezes bate uma saudade das coisas como a gente conhece desde sempre. Acho que isso faz parte de qualquer casamento pra falar a verdade, mesmo que nao seja entre pessoas de países diferentes… Boa sorte aí e que você possa encontrar mais pessoas espontâneas na sua vizinhanca!
    beijokas

  17. Daqui a alguns meses estou indo para a Alemanha com a agência de Aupair. Acompanho seu blog faz um certo tempo e percebo como em alguns momentos deve ser complicado viver num país assim diferente. Meu padrasto é alemão também, e vi o quanto ele mudou nesses 4 anos que ele está com minha mãe. Até a família dele está um pouco diferente, estão mais receptivos a abraços, beijos no rosto, conversas fáceis e a famosa caipirinha. Espero que nesse meu primeiro ano aí encontre pessoas para dar uma volta de bicicleta ou até um passeio desses bem espontâneos. O nervosismo de ir já está aqui me incomodando.. Mas fico feliz por saber que com você está dando certo. Abraço!

  18. É engraçado, mas eu adorooooooo essa pontualidade é esses horarios sempre agendados, nós ultimos tempo tenho trabalhando, estudado e ficado com a familia que tempo de diversao só com hört marcada, agora tenho algumas alias é amigos alemaes que adoro encontrar quando da, mas sabe que eles tbm se parecer conosco, meus amigos é minha Familia adora surpresas, churrascos sem hora. Marcada é tudo mais. Eu te endendo… Mas issto vem só com o tempo é sorte de arrumar os amigos certas. E brasileiro, só a gentevmesmo kkkkk

    • Então você se alemanizou total! uahauah
      Ah, eu não quero perder minha essência não, vou continuar sendo espontânea até ficar velhinha, porque daí em diante, não vou poder mais ser! hahaha
      bjão

  19. Eu também sinto um pouco de falta de fazer coisas espontaneamente, embora eu acredito que o suíço, neste ponto, talvez seja um pouco mais relaxado do que o alemão. Meu marido por exemplo, é super espontâneo. O nosso vizinho (que é tb suíço) quando nos convidou para um café foi espontaneamente, sem agendamento prévio.
    Vivendo aqui, não tem como não incorporar um pouco disto. Em certos aspectos acho que funciona bem, no que diz respeito a organização e a ordem do país, por outro lado, tantas regras deixa as pessoas engessadas. Bom seria encontrar um equilíbrio e um meio-termo.
    Agora quanto a comer no sofá, não sinto a menor falta, rs… porque na casa dos meus pais, era sempre assim e eu só pensava que quando tivesse a minha casa, as refeições seriam à mesa. E tem sido sempre assim :-). Bjs

    • Na casa dos meus pais também era assim e eu sonhava com minha casa e refeiçoes sempre na mesa. Hoje tenho isso e me dá o maior prazer, mas confesso que as vezes, na família do meu marido, há uma imposição muito grande quanto à isso. Se a mesa não estiver como deve ser é motivo de chateação. Já levei até carão por não fazer o que citei acima…colocar tudo arrumadinho num prato. As vezes tudo isso me enche o saco!!! E sim, lembro de como era em casa, tudo tão desorganizado e ao mesmo tempo tão legal e normal, e sinto mto falta! 🙂
      bjão

  20. Ana, eu também gosto muito de momentos de espontaneidade, mas como cresci num ambiente nada regrado, sinto falta de algumas “normas” na minha vida. Meu roommate alemão era uma pessoa espontânea,e como ele era o amigo mais próximo que fiz aí, não senti na pele o peso de tantos Termins pra fazer coisas simples. Mas que bom que tu consegue ter novos amigos espontâneos aí, isso faz bem!

    Ahh, e quando vai ser o casamento? Tu tinha sumido um pouco e achei que fosse por causa disso.

    Beijos!

    • É verdade Grazi! Isso faz um bem danado!
      Estou sumida realmente não só por conta do casório, mas também pelas horas que tenho me dedicado ao alemão. Logo mais farei uma pausa do curso e terei mais tempo pra dedicar ao blog! 🙂
      um bjão

Faça o meu dia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s