Diário do bebê: 0-2 meses

Meu filho tem me inspirado muito a escrever e a fotografar mais ultimamente. Esse blog conta minha história com a Alemanha desde o começo, os vexames que já passei e também as minhas grandes realizações nesse país: o meu casamento e a descoberta dele. Eu adoro ler os meus posts antigos, ver como a minha vida mudou, como eu me desenvolvi fotograficamente. Então escrever mais sobre ele vai me fazer no futuro gostar ainda mais desse canto. Eu queria muito ter escrito o diário do primeiro mês, mas ele não foi nada fácil. O primeiro mês foi na verdade MUITO difícil. Por isso escrevo hoje (na correria) um resumo dos dois primeiros meses!

1. mês e tamanho do bebê

O Thomas nasceu com 3470 g e 49 cm e saiu da maternidade com 3200 g. Na consulta de 1 mês ele já estava pesando 4700 g e medindo 54 cm. A consulta de 2 meses ainda será em uma semana, mas de acordo com a última pesagem da minha Hebamme há uma semana atrás, ele já estava com 5800 g. Fico super feliz que ele já engordou bastante desde a saída da maternidade, já que o começo da amamentação foi uma fase tão complicada. Escrevo mais sobre isso no ítem dificuldades. Ele já perdeu várias roupinhas e já veste algumas peças de número 62!

baby Thomas 1 mês
baby Thomas 2 meses

2. evolução do bebê

O primeiro mês do bebê é um tanto langweilig. O bebê praticamente só dorme, come, suja fralda e chora. A interação com os pais é pouca. Ele pode dar uns sorrisos, que são nada mais que reflexos e enxerga muito pouco, mas o suficiente para ver a mãe enquanto é amamentado. Mas a partir do comecinho do segundo mês as coisas começam a ficar muito mais interessantes. O Thomas já sorri assim que acorda e faz também uns barulhinhos muito gostosos <3. Ele já acompanha objetos com os olhos e se interessa por coisas coloridas. Já consegue levantar um pouco a cabeça quando está deitado de barriga e ri quando falamos com ele.

3. rotina do bebê

No primeiro mês foi difícil seguir uma rotina porque todo começo é meio caótico mesmo. Eu tentava levar ele pra cama as 19 horas, mas como ele mamava de hora em hora eu nunca contava com isso como o horário de dormir. Falando em dormir, ele praticamente não dormia a noite. Passava o dia dormindo e a noite só tirava cochilos e queria ser amamentado de hora em hora. Também não dormia no berço do lado da nossa cama. Só dormia em cima de mim. Mas hoje as coisas já estão bem melhores! Eu levo ele pro berço as 20 horas e ele dorme até as 23 ou 24 horas (na maioria das vezes dá tudo errado e tem muito chororô!!!) e acorda duas ou três vezes pra mamar. Porém por volta das 6 da manhã ele já está ligadão e não me deixa mais dormir. Ele adora tomar banho. ADORA! Nunca chorou e sempre fica muito relaxado. As Hebammes (veja que criei um plural em português para Hebamme haha) aqui aconselham um ou no máximo 2 banhos por semana. Mas como ele é brasileiro também, toma 3, o que eu ainda acho pouco! Dizem que tem a ver com a água daqui que é pesada e prejudica a pele do bebê. Ele toma banho só com água, leite e umas gotinhas de azeite de oliva. As vezes eu passo um pouco de shampoo de bebê só pra dar um cheirinho a mais. Nossa rotina agora está mais regrada. Ele acorda as 6 e uma hora depois já tira o primeiro cochilo sozinho. Ao longo do dia ele só dorme se for junto de mim no sling. As vezes dá certo tirar e colocar ele na cama. Mas normalmente ele acorda :). Todos os dias eu brinco um pouco com ele no baby gym (feito por nós), mostro brinquedos com musiquinhas e fazemos um pouco de tummy time pra fortalecer o pescoço!

4. produtos favoritos

  • Pomada Lansinoh: eu nem sei o que teria feito sem ela! Infelizmente a amamentação não funcionou bem no começo. O Thomas não nasceu um mamador profissional e eu já saí da maternidade com um dos mamilos em carne viva e sangrando. A hora de amamentar era a hora do terror pra mim. Era ele mamando e eu chorando. Nós demoramos pra ajustar a pega de um lado e eu sofri muito com um mamilo fissurado até algumas semanas atrás. Fiz uso do bico de silicone por alguns dias até cicatrizar. Embora o uso do bico intermediário seja muito discriminado eu devo dizer que ele me ajudou muito. Mas mesmo assim eu não recomendo o uso. É totalmente chato ficar lavando após o uso e se o peito estiver com lanolina o bico fica deslizando. Não é nada prático. Eu aconselho as mamães-to-be ajustarem a pega ainda na maternidade. Mas enfim, a pomada é uma maravilha pra cicatrizar as fissuras. Hoje eu já vivo sem ela e amamento sem dor.
  • Sling: eu demorei a usar o sling diariamente por conta da minha cirurgia. Quando fui liberada comprei um da marca alemã Didymos e foi o melhor investimento que fiz até agora. Como escrevi acima, a maneira mais rápida de colocar ele pra dormir é no sling. Ele dorme e eu tenho as mãos livres pra fazer minhas coisas em casa!
  • Fraldinhas de pano e cueiros: eu tenho muitos e eles ainda não são suficientes! Fui sorteada com um Spuckkind. Um bebê golfador! Levamos ele no médico pra saber se era refluxo e felizmente não é. Pelo que ele já engordou o médico descartou a hipótese e disse que ele é apenas um comilão e golfador feliz. Aqui na Alemanha tem um ditado que diz: Speikinder sind Gedeihkinder, ou seja, bebês que regurgitam são bebês que engordam muito bem. Fico feliz que não é nada grave, mas a mamãe aqui sofre diiiimais com as golfadas!!! Eu tenho algumas fraldas de pano baratinhas e outras mais chiquetosas da Aden & Anais, Lässig e Fabelab que além de lindas são também de ótima qualidade. Cueiros são panos maiores (120 cm x 120 cm) e são ótimos para enrolar o bebê tipo um burrito. Criam um clima de aconchego como no útero e o bebê fica bem calminho.

5. dificuldades

  • Amamentação: a maior dificuldade que tive foi sem dúvida aprender a amamentar. Deveria ser a coisa mais simples e natural do mundo o bebê sair do útero e ir direto pro peito mamar direitinho. Mas não é. Bom, eu falo por mim. Tem mulheres que nunca sentiram dor. Apesar de toda a assistência que tive na maternidade, eu não conseguia aprender a tal da “pega correta”. Thomas me machucou muito, mas eu queria muito continuar e nunca cogitei desistir. Por isso lutei pra que desse certo. A dor não foi o único problema. Os meus seios aumentaram MUITO durante a gravidez e ainda mais depois que ele nasceu. Os primeiros dias com os peitos cheios de leite foram uma sofrência só. Eles pareciam um corpo estranho no meu corpo. Meu baby blues foi lá mesmo na maternidade. Por causa da cesariana o meu leite demorou dias pra descer. Na verdade só desceu mesmo quando voltei pra casa, depois de 5 dias. Eu queria muito amamentar, só que eu não tinha leite. Eu só tinha mamilos fissurados. Como tava muito difícil colocar ele pra mamar, eu usava a bomba pra estimular a produção de leite e isso doía mais ainda. Tirava míseros 2 mL de leite de transição (o que vem após o colostro) e dava pra ele na seringa. Eu chorava muito porque não queria dar fórmula pra ele. Mesmo assim tivemos que dar umas três vezes porque ele chorava de fome. Ele chorava de fome de um lado e eu do outro me sentindo super melancólica. No penúltimo dia na maternidade eu já conseguia tirar 20 mL dos dois peitos e ligava pro Kilian dizendo: caracas hoje eu tirei muuuito leite (hahaha). O leite foi aos poucos descendo e a minha tristeza foi passando! Hoje eu comemoro orgulhosa dois meses de amamentação em livre demanda e digo de peito aberto: eu amo amamentar! Não há nada melhor que eu possa fazer pelo meu filho!
  • Recuperação da cesariana: já escrevi um pouco aqui neste post, mas volto a repetir: a recuperação foi rápida mas muito dolorosa. Pra ser bem sincera, eu ainda senti dor até umas duas semanas atrás. Hoje posso dizer que já estou bem recuperada e livre de dor!
  • Falta de tempo e privação de sono: eu mordi a própria língua quando disse que a minha casa não iria ficar uma zona como a de fulana depois que o bebê nascesse. Hoje eu retiro o que disse e me compadeço das mães que reclamam da falta de tempo e do cansaço. Ainda não aconteceu de eu passar um dia sem tomar banho, mas já passei dias sem conseguir lavar o cabelo. O bebê bem novinho demanda muito do nosso tempo. Ele precisa de muito contato e apesar do cansaço aqui comigo é assim: peito a todo momento e muito colo. Os primeiros dias eu parecia um zumbi de tão cansada. E olha que tive a sorte de ter meu marido por um mês em casa. Só que mesmo com a baita ajuda que ele deu foi bem difícil viver com um bebezinho pendurado nos peitos doídos o dia todo e a noite toda. Muitas noites eu dizia com os olhos ardendo de sono: hoje eu não consigo, não tenho mais forças. Mas a verdade é: a gente acha! Não sei de onde tiramos força, mas conseguimos. Eu não tenho tempo pra cuidar da casa como gostaria, não tenho tempo pra cuidar de mim como gostaria, não tenho tempo pra fazer as coisas que gosto, como ler blogs, comentar, responder os comentários aqui no blog, fazer as unhas e etc. Mas eu sei que é apenas uma fase e que ela vai passar.
  • Palpites e comentários indesejados: não é bem uma dificuldade, mas sim chateações que tenho que lidar. Eu já passei a minha gravidez inteira ouvindo comentários chatos (alguns bem infelizes) e sabia que não seria diferente depois que ele nascesse. Ouvir que o meu filho já está mal acostumado me dá nos nervos! Mandam eu dar mamadeira pra ele dormir a noite toda. Dizem que o sling e dar peito toda hora vão deixar ele mimado e fazer ele rejeitar outras pessoas. Dizem que devo deixar o meu filho chorando só um pouquinho pra ele aprender a se acalmar. NÃO! NUNCA! Um bebê recém-nascido não tem o poder de manipular um adulto. Ele não sai do útero, o único lugar seguro que ele conhecia, com pensamentos de querer nos manipular. Se um bebê chora é porque algo o está incomodando, seja a fralda que está suja, fome ou simplesmente a necessidade de colo. Eu vou contra todos os que seguem essa ideia. É comprovado cientificamente que um bebê que é deixado chorando tem maiores chances de se tornar uma criança estressada. É também comprovado que o colo e a criação com apego ajudam o bebê a se tornar uma criança mais feliz e independente. Por isso eu dou muito peito e colo e se reclamarem eu dou mais peito, peito, peito e colo!

6. melhores momentos

Como nem tudo é só sofrência, os dias com ele são também recheados de momentos felizes! É lindo quando eu beijo a barriga dele e ele sorri durante a troca de fralda. É maravilhoso quando eu digo “bom dia gordinho” e ele me responde com um sorriso. É lindo como ele fica relaxado quando eu canto as “músicas da barriga” e faz parecer que ele se lembra delas. É lindo quando ele está calminho e sorri dormindo. É lindo quando ele entra em coma de leite e fica numa vibe muuuito maneira! É maravilhoso o cheirinho dele! Isso e outras coisas novas que acontecem todos os dias fazem as noites mal dormidas serem facilmente esquecidas. Quando me sinto perdida e desesperada sem saber o que fazer, basta apenas ele sorrir e aí fica tudo bem :)!

16 comentários em “Diário do bebê: 0-2 meses

  1. É isso aí Ana, muito colo, muito peito e muito amor. Nós somos os anfitriões dos nossos filhos ( como ouvi no mundo em cores), se praticarmos o desapego o que será do nosso mundo. Como diz o pediatra Carlos Gonçalves, ninguém nunca ouviu falar que a cadeia está cheia de pessoas que tiveram excesso de colo e de amor na primeira infância, mas sim por falta de amor, carinho de mãe e de pai. Muito lindo seu bebê, vai ficar cada dia mais fofo e feliz. Siga seu instinto que tudo vai dar certo. O melhor pra mim pode não ser o melhor pra você. O que o mundo precisa é de mais empatia. Beijo grande.

  2. Amei o post sincerão! Como qualquer coisa na vida, há momentos que são sofridos e outros prazerosos. E que genética maravilhosa de vocês dois, o Thomas é lindo demais! Ele está crescendo e engordando rápido e ficando cada dia mais lindo. Não sabia que recomendam só 2 banhos por semana. Ainda bem que não vou ter filhos porque eu não ia conseguir seguir isso não hahahha

  3. Ai, Ana, impossível vir aqui no seu blog e não sair suspirando de amor. To amando acompanhar a evolução do Thomas e de como tá sendo essa fase inicial sua como mãe, dá vontade de esmagar vocês todos de tanta fofura a cada foto compartilhada. Acompanhando de longe já dá aquele apertinho no coração de como ele tá crescendo tão rapido, imagino pra você… mas também deve ser uma delicia acompanhar cada mudança desse pequeno! ❤

  4. Ana, esse post está sua cara, cheio de amor. Você parece estar vivendo um extase sem fim, e isso é muito muito legal. Que sigam assim, se amando, enfrentando as dificuldades com amor e resiliência. A única coisa é que agora lendo sobre o tamanho do Thomas tenho certeza que a blusinha que mandei já chegou pequena hahaha.. Mas faz parte, que bom que ele mama bem, come bem e engorda bem. Saúde e felicidade pra vocês!

  5. Oie Ana! Queria só dá uma sugestão pro banho: já pensou em usar óleo essencial? Tipo o de lavanda, que além de proteger a pele do bebê e higienizar ainda dá o cheirinho bom. E que bom que está ouvindo a voz do seu coração na criação do seu pequeno. 🙂

  6. Que lindeza de post!
    Vai ser delicioso acompanhar por aqui um pouquinho do crescimento do seu pequeno. Eu sou a pessoa bobona que chora pensando no sorriso do filhote dos outros, que eu nem conheço… quero nem pensar quando tiver o meu. Mas ainda tá longe, beeem longe, e fico curtindo o amor que você e outras mamães lindas compartilham por aí!
    Muita força pra você com relação à livre demanda/criação com apego… Imagino (e pelo que já vi com primas/ cunhadas) que quanto mais ele crescer mais esses comentários chatos vão aumentar. Mas vale a pena ❤❤
    Beijos e carinho pra todos vocês!

  7. Que post maravilhoso, Ana. Nunca tive vontade de ser mãe mas adoro ler artigos e blogs sobre maternidade, acho o assunto interessantíssimo – e pra ser sincera, ultimamente até tem dado uma leve vontade sim. Essa parte da amamentação me surpreendeu muito quando comecei a ler sobre o assunto, pq eu também achava que era a coisa mais fácil e natural do mundo, mas não é. Fico feliz que agora esteja tudo bem e que você continue assim plena e realizada! O seu bebê é lindo e suas fotos transmitem demais esse amor! ❤

  8. Ah, que o lindeza! Dá ainda mais vontade de ter o meu nenenzinho. ❤
    O Thomas é um fofo – e eu queria todo o enxoval dele, ehehe.

  9. Quanta coisa linda para ler e ver! 🙂 Estou adorando saber tudo e concordo plenamente com a questao de nao deixar chorando……….Ele está muito parecido com os dois, bem legal isso de o BB nao parecer só com o pai ou só com a mamae, vejo metade de um e metade do outro rsrs…..Xerooooo lindona…..

  10. Que lindo post. Me lembrei dos primeiros meses com a minha Lilly e de como sofri e chorei no início da amamentação. Ela dormia no peito e pra mantê-la acordada , precisava tirar a roupinha e uma outra pessoa precisava ficar mexendo no pezinho pra ela não pegar no sono. Foram semanas assim e eu desesperada, mas ela engordava e eu continuei, contra todos os palpites pra dar fórmula. Semana passada completou um ano e ainda mama no peito, apesar de já comer muito e de tudo, esse é o nosso momento! Sou a favor da criação com apego, nunca deixei chorando, carreguei muuuuito no colo e dei/dou peito a vontade, minha filha é o ser mais sociável que conheço, nada de só querer a mãe. Quanto a dormir, cada criança é única mas ela ainda acorda de 3 em 3 hs a noite, tem dia que acho que não vou conseguir, mas olho pra ela, meu sonho realizado, o amor da minha vida, e esqueço o cansaço e levanto com o coração cheio de amor!! Difícil é ir trabalhar no dia seguinte rsrsrs
    Boa sorte pra vcs e aproveite muuuuito. O Thomas é lindo.
    Liebe Grüße aus Regensburg,
    Fabíola

  11. Bom dia!
    Olha, é assim mesmo.
    Uns dias mais difíceis, outros mais fáceis.
    Fico feliz que você tenha conseguido superar a dificuldade inicial e amamenta em livre demanda. Eu não consegui.
    Talvez tenha me empenhado pouco, mas isso agora é o que menos importa, porque não dá pra voltar atrás e não posso passar o resto da vida me lamentando.
    Cansaço, falta de tempo pra gente, tudo passa. E muito rápido.
    Daqui a pouco seu bebê está correndo por aí.
    Aproveite muito.

  12. Adorei o relato Ana!
    E as dicas vou anotar para o futuro! 🙂
    E que bom que com sua determinaçao e carinho as dificuldades foram superadas e viraram historia para contar!
    Beijos

  13. Vi no Instagram que tinha post novo sobre bebê e vim correndo ler.
    Não sabia que recomendam de 1 a 2 banhos por semana. Mas é verdade… bebê brasileiro toma mais banho.
    Que bom que agora já está mais fácil com a amamentação! Já ouvi muito que no começo é geralmente mais difícil.
    Sobre os palpites e comentários indesejados… ainda não ouvi muitos, mas ouvi um ou dois e fiquei muito mais indignada do que pensei que pudesse ficar. Devem ser os hormônios porque eu pensei que pudesse ignorar e não deixar me afetar, mas não foi bem assim.
    Também não acredito que um bebê recém-nascido saiba manipular pessoas. O choro é o único meio de comunicação no início. Claro que o bebê vai chorar quando precisar de algo, não tem como ele pedir de outra forma.
    Adorei esse primeiro diário do bebê!

  14. Muito lindo e legal esse post Ana! Minha pequena Lilli chega nas próximas semanas e me fez muito bem ler essas palavras! Obrigada…
    Se tivéssemos um menino também seria Thomas 😉

Faça o meu dia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s