Jardim botânico de Bruxelas

Jardim botânico de Bruxelas

Na nossa passagem por Bruxelas, eu fiz questão de visitar o famoso jardim botânico Plantentuin Meise e pra mim essa visita foi o que fez a viagem valer a pena. Estou pensando seriamente em adicionar uma categoria aqui no blog só para jardins botânicos. Desde que fiz as fotos do dia das mães no jardim botânico de Erlangen, criei uma verdadeira obssessão por fotografar lugares assim. Aqui na Alemanha tem muitos jardins bonitos e de agora em diante eu vou tentar incluí-los no meu roteiro.

Nós passamos uma tarde inteira andando por lá. Além das estufas, o Plantentuin tem uma área verde imensa e até floresta. Esse tipo de passeio é realmente a minha cara porque eu amo verde! Basta só olhar um pouco as minhas fotos no instagram pra ver que o verde é a minha cor favorita. Além disso, eu gosto da calmaria dos jardins botânicos. Foi uma tarde tão agradável que eu até esqueci que horas atrás nós estávamos morrendo de suar no centrão lotado de Bruxelas. Quero muito criar o Thomas em contato direto com a natureza e eu acredito que levá-lo pra ver lugares como esse, mesmo ele ainda sendo tão pequeno, já é um grande começo!

O Plantentuin Meise fica a pouco mais de 10 km do centro de Bruxelas e pra quem gosta desse tipo de passeio, fica aqui a minha recomendação.

Para ver a versão “arquitetura” da nossa passagem pela Bélgica é só clicar aqui.

Ghent, Bruges, Bruxelas e a nossa primeira viagem com bebê

Ghent, Bruges, Bruxelas e a nossa primeira viagem com bebê

Escolhemos a Bélgica como destino da nossa primeira viagem em família. Kilian já conhecia Bruxelas e eu tinha muita vontade de visitar o país. É um destino que dá pra ir de carro daqui, acredito que em 6 horas se chega lá. Mas com bebê seria impossível fazer o trajeto completo em um dia, por isso tivemos que organizar duas acomodações pra passar a noite. Na ida paramos na cidade de Bacharach ao longo do rio Reno e passamos a noite na casa de um amigo. Quem me acompanha no instagram viu fotos da cidade fofinha no stories. Na volta passamos a noite na casa da amiga Rode em Düsseldorf.

Nós alugamos um pequeno apartamento na cidade de Ghent pelo Airbnb onde passamos cinco noites. Escolhemos ficar em Ghent porque achamos que seria fácil fazer de lá bate-volta até Bruxelas e Brugues. E acertamos! O studio era bem localizado e a cidade é uma gracinha!

Mas a grande atração da nossa viagem foi Bruges. Todo mundo estava certo ao dizer que Bruges  é imperdível. Que cidade linda! Acho que o dia que passamos por lá foi pouco para o que ela oferece, apesar de ser super pequena. Não é à toa que ela é a cidade queridinha da Bélgica. A cidade é charmosa em todas as suas esquinas e até tem um centro histórico que faz parte do Patrimônio Mundial da Unesco! A arquitetura tem uma forte influência holandesa pelo fato da cidade estar situada na região de Flandres e é muito bem preservada, bem diferente do aspecto meio shabby das outras cidades que visitamos. Nos divertimos demais tirando fotos por lá. Bruges entrou pra minha lista de cidades mais lindas da Europa!

Bom, o que dizer de Bruxelas? Várias pessoas disseram que não vale a pena conhecer a cidade. Mas já estávamos no país e não fazia sentido deixar a visita de lado. Além disso, eu queria muito conhecer o famoso jardim botânico de Bruxelas, o Botanic Garden Meise, um dos maiores do mundo. Tirando a Grand Place (Grote Markt), aquela praça maravilhosa, eu achei a cidade caótica e fedida. Opinião nossa, claro. Não sei se foi porque fomos lá um dia antes de voltar pra Alemanha e eu já estava com a bateria descarregada, mas eu não tive muita paciência de ficar andando por lá. Gostei de Bruges e Ghent por serem pequenas e charmosas e terem aquelas ruazinhas fofas fotogênicas. Bruxelas não me deixou encantada não. A visita à cidade só valeu a pena mesmo por causa do jardim botânico, que mostrarei em outro post. Nem queríamos ir no Atomium, mas no caminho para Meise sem querer passamos em frente e o Kilian desceu só pra fazer uma foto.

E como foi viajar de carro com um bebê de 3 meses e meio?

Foi maravilhoso e cansativo. Ele devia estar passando por algum pico de crescimento e mesmo antes da viagem as noites em casa já estavam meio fora do normal. Lá não foi diferente. Ele continuou acordando de 2 em 2 horas (as vezes com pausas de 1 h e meia) pra mamar. Resolvemos não levar carrinho de bebê. Ele tava precisando de muito contato, por isso o sling ajudou a deixá-lo super calmo nos passeios. Só o tirava mesmo pra dar mamá. Quando não estava dormindo como um anjo, estava com a cabeça pendurada olhando de um lado pro outro, super curioso. Revezamos as carregadas e assim deu super certo. As noites mal dormidas não nos impediram de andar e aproveitar o dia. Nós andamos muito e foi uma delícia explorar um novo país com o nosso baby. Fizemos cama compartilhada e procuramos seguir a rotina de levá-lo pra cama às 19:30. Às 20 ele já estava dormindo e a gente também né!

A ida pra Bélgica foi relativamente tranquila. Fizemos muitas pausas e ele quase não chorou. Levei muitos brinquedos e procurava sempre fazer algo interessante pra entretê-lo. Porém a volta foi um filme de terror. Saimos de Ghent com a esperança de ainda visitar a Antuérpia, mas não estávamos contando com um engarrafamento de várias horas nas proximidades de cidade. Para se ter uma ideia do caos: fizemos meros 50 km em mais de três horas! Foi um horror! Carro praticamente parado, sem chances de fazer pausas = bebê se esgoelando até o mundo acabar. Nada, absolutamente nada que eu fazia deixava ele satisfeito. Ele queria sair a todo custo daquele bebê conforto. Ele chorava de um lado e eu chorava do outro sem poder fazer nada. Quando o trânsito estava realmente parado eu o tirava rapidinho e amamentava, mas quando fluía e o colocava novamente pra sentar, o chororô continuava. A raiva dele era tanta que nem uma teta gigante resolveria. Por um instante lamentamos ter feito a viagem, ter feito ele passar por esse estresse. Mas como que a gente ia saber né? Finalmente, depois de quase 6 horas (pra percorrer um trajeto de apenas 260 km) chegamos em Düsseldorf, onde passamos a noite. A volta pra casa foi mais uma vez tranquila e ele dormiu praticamente a viagem toda.

Viajaremos novamente de carro com ele? Claro que sim! Temos certeza de que com o tempo ele vai se acostumar e as viagens passarão a ser menos dramáticas :).

Abaixo algumas fotos dos nossos dias pela Bélgica.


Um outro highlight da nossa viagem foi ter levado o Thomas para ver o mar. Nós fomos até Domburg na Holanda, num dia maravilhoso de sol e 24 graus. Ele não ficou só no sling não! Quem acompanhou o stories viu que ele até colocou as bisnaguinhas na areia. Ah, como eu tava com saudade de ver o mar. Pena que a água gelada nos convidou a pôr somente os pés. Daqui a dois meses vai ter praia de verdade! O próximo destino do Thomas: Brasil <3.