Schönau am Königssee (II)

O dia em que fomos no topo de Jenner foi emoção pura! A montanha tem 1874 m de altura! A vista lá de cima é de tirar o fôlego! Imaginem a minha emoção! Eu nunca tinha subido no topo de uma montanha antes!

Pegamos o bondinho (acho que custou 19 euros) que sai da estação em Schönau e chegamos lá em 20 minutos. Ainda tinha muita neve no caminho e para chegar ao topo, onde tem uma cruz, foi um pouco complicado. Mas nada que impedisse as pessoas de chegarem lá.

Restaurante no Jenner!

De lá pode-se ver o Watzmann, a segunda montanha mais alta da Alemanha!

Eu e branquinho no topo do Jenner!

Schönau vista de cima do Jenner!

O caminho de volta fizemos a pé! Mais aventura e muita vontade de andar! Mas antes fomos até o topo do Kleiner Jenner.

A subida não foi tão ruim, mas não tive coragem de ficar em pé lá em cima!

O caminho de volta!

Essa foto foi tirada no caminho de volta ao hotel. Vocês conseguem ver a montanha com formato de uma bruxa deitada? Essa montanha é chamada de Schlafende Hexe ou bruxa dormente. Nosso hotel ficava bem de frente pra ela!

Abraços,

Ana

Schönau am Königssee (I)

Recentemente fui ao paraíso! Ele existe e fica nos Alpes da baviera, na região de Berchtesgaden, no extremo sul da Alemanha. Não conheço a Alemanha de ponta a ponta, mas posso dizer que esse foi o lugar mais encantador que já visitei. O fato de ter ido na primavera foi fantástico, pois ainda tinha muita neve no topo das montanhas e lá embaixo estava tudo muito verde e florido.  Nós sortudos que somos,  tivemos lindos dias ensolarados e com temperatura super agradável! Com 8 km de extensão e 1,2 km de largura, o Königssee tem um tom verde-esmeralda e a água é absolutamente cristalina. Só vendo para crer!

O passeio ao longo do Königssee é feito em barcos de propulsão elétrica, que são bem silenciosos e preservam a limpeza do local. Custa cerca de 15 euros ida e volta, a viagem dura pouco mais de 1 hora e os barcos saem a cada 30 minutos. Tem um guia que explica durante o percurso algumas curiosidades e peculiaridades do local. Num ponto onde o lago fica mais estreito, o barco pára em frente a um paredão rochoso e o guia toca com um trompete uma melodia maravilhosa para que possamos ouvir o eco vindo das montanhas, chamado de Eco do Königssee. Me emocionei muito, confesso! Optamos por ir até o final do lago e desembarcar em São Bartolomeu somente na volta, pois queríamos fazer hiking pelas redondezas. Andando por cerca de 30 minutos, chegamos ao Obersee. O caminho é bem fácil e quem não é acostumado com hiking não terá dificuldades. 

Não me controlei e tive que por os pés naquela água gelada!

Na volta paramos na capela de São Bartolomeu. Além da capela, tem um restaurante onde comemos um peixe defumado delicioso! Vale a pena conferir!

 

Por sua beleza estonteante, essa região também é palco de muito romantismo. É o lugar ideal para se passar uma lua de mel!

Próximo post tem muito mais sobre Schönau!

Abraços,

Ana

Castelos ao longo do Reno

O vale do rio Reno preserva lindos castelos medievais, sendo o trecho mais privilegiado o que fica entre as cidades de Mainz e Koblenz, com cerca de 100 km de extensão. Saímos pela manhã de Mainz seguindo a estrada que fica à margem do rio. Fiquei encantada com as pequenas cidades onde passamos. Essas cidadezinhas, todas muito parecidas, parecem ter saído de um conto de fadas! Alguns dos castelos que visitamos são apenas ruínas e estavam fechados, outros funcionam como hotéis. Dentre os castelos que visitamos estão o Burg Rheinstein e o Burg Sooneck, onde tivemos que pagar para entrar (não lembro ao certo quanto) e fizemos um tour com um guia muito simpático. Ele traduzia as vezes o que falava pro inglês pra que eu pudesse entender!

Teve também o Burg Rheinfels, localizado em Sankt Goar e funciona como um hotel de luxo. Daí passamos pelo Schloss Stolzenfels, já pertinho de Koblenz. Apreciamos a beleza do castelo só por fora, pois a entrada já era um pouco mais cara e ainda tínhamos muito pra ver do outro lado, no caminho de volta pra Mainz.

Fomos então conhecer Loreley, um rochedo localizado junto ao Reno. A lenda conta que Loreley era uma bela sereia de cabelos loiros que foi responsável por grandes náufragos nessa região devido ao canto que entoava. Sua voz hipnotizava os navegantes fazendo com que perdessem o controle dos barcos e os chocassem contra os penhascos. Diz a lenda que ainda é possível ouvir o canto da sereia em noites de lua cheia! A vista é simplesmente fantástica!

Infelizmente, fomos no inverno e a vista não estava tão bonita (oi?!) como no verão. Quero muito voltar lá quando tudo estiver mais verdinho e o céu azul! Espero que este post sirva de inspiração se você pretende conhecer essa região! Sem dúvidas, esse foi um dos passeios que mais gostei!

Abraços,

Ana